Para cada bebê que nasce, nasce junto uma mãe

Para cada bebê que nasce, nasce junto uma mãe
Para cada bebê que nasce, nasce junto uma mãe
Gravidez - Estado especial da mulher

Há aquelas mães que não planejaram a gravidez, e muitas demoram a se acostumar com a surpresa. Se quando planejamos já temos tantos sentimentos, anseios e dúvidas, quem dirá uma gravidez que não foi programada, ou até mesmo indesejada, como não se pode voltar atrás o ideal mesmo é seguir em frente e não se frustrar, pelo contrário, agradecer à Deus por este momento tão mágico, pois muitas mulheres não conseguem engravidar. Mas há mulheres que planejam, e que por vários motivos não tomam uma atitude por medo e insegurança, pois cuidar e criar um filho requer muita responsabilidade, amor, paciência e compreensão, e ainda tem aquelas que se preocupam com o corpo, como ficará após a gestação. Toda gravidez requer cuidados especiais tanto para a mãe como para o bebê, cabe a nós nos atentarmos a estes fatos. Grande parte do caminho percorreremos seguindo nosso instinto materno, o qual já nos ensina desde quando engravidamos, é claro que tudo não é tão simples assim, por isso é muito bom planejarmos e aguardarmos o momento certo, momento esse que todas sabemos quando chega, pois não desejamos outra coisa a não ser engravidar e ter um bebê. Nunca saberemos tudo, a cada dia e em todos os momentos aprenderemos uns com os outros e também devido a própria experiência que aos poucos vamos adquirindo. Por isso conto com vocês para tornar este blog especial e sempre com novas informações. Naveguem por ele e descubra a cada dia algo novo, é claro que peço muita paciência, pois para deixá-lo com tantas informações requer tempo, e quem é mamãe sabe que nossos filhos tomam a maior parte dele, mas isso é muito bom. Só me resta então desejar "Boas Vindas" a todos (as).


27/05/10

Retrospectiva Animada Infantil - Porque seu filho merece o melhor...



  video

Para a festa do seu filho faça uma retrospectiva com quem possui o melhor, amor de mãe, que só o Geração Mamãe tem, além de total carinho  e dedicação para contribuir com a  festa do seu filho como se fosse o nosso.

Possuímos um studio no qual efetuamos um trabalho totalmente personalizado e diferente e por um precinho que só quem ama crianças a ponto de criar um blog todinnho delas e suas mamães  pode dar, à partir de R$50,00, muito abaixo da concorrência porque seu filho merece o melhor com qualidade e carinho, damos a oportunidade para quem sempre desejou aquela retrospectiva maravilhosa e emocionante mas que sempre achou o preço um pouco salgado, mas de salgado em festa só os de comer rsrs.

Clique aqui e vá direto para a página de nosso studio conhecer nossos vídeos e promoções e tem mais se entrar em contato conosco informando que conheceu nosso studio através do Geração Mamãe já ganha logo de cara 5% de desconto. Vale a pena conferir nossas outras demonstrações...


Este vídeo possui qualidade reduzida, pois encontram-se no formato compatível com o blog.
Os vídeos entregues aos clientes são gravados em DVD e possuem qualidade máxima.

Gravidez na Adolescência

Dra. Adriana Lippi Waissman é médica obstetra do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, especializada em gravidez na adolescência.


 

Drauzio Depois do nascimento do bebê, a adolescente costuma assumir seu papel de mãe ou delega a responsabilidade para outra pessoa?

Adriana Lippi Waissman – É complicada a situação. É preciso lembrar que essas jovens mães estão atravessando uma fase de transição, estão aprendendo a ser adultas e mães ao mesmo tempo, mas continuam ainda um pouco crianças. O que se pode constatar é que cerca de 60%, quando retornam um mês depois do parto para a consulta, dizem não estar amamentando os bebês exclusivamente com leite materno. O ideal seria que 100% delas o fizessem, pois, do ponto de vista psicológico, amamentar intensifica o relacionamento mãe/filho, ajuda no desenvolvimento e previne doenças do bebê.
Além disso, há o detalhe da avó, mãe da adolescente, que também está aprendendo a lidar com novos papéis: sua filha é mãe e ela, avó. Às vezes, porém, essas avós acabam atrapalhando ao assumir o papel das mães e, por isso talvez tenha aumentado o índice de reincidência de gravidezes na adolescência. A menina engravida de novo porque considera fácil cuidar de um bebê, o que está longe de ser verdade. Só é fácil se alguém o fizer por ela. A mãe adolescente que tem sob sua responsabilidade cuidar da criança, no momento em que for rever os planos para o futuro (se existem obstáculos sem filhos, imagine com eles), vai pensar duas vezes antes de engravidar de novo.

Fonte: http://www.drauziovarella.com.br

Gravidez Tardia e Gravidez Planejada

Na última década, a gestação depois dos 35 anos cresceu 84% nos Estados Unidos, o casamento e a carreira profissional são alguns dos motivos   

Na década de 50, as mulheres se casavam ainda na adolescência e tinham seus filhos entre 18 e 25 anos. Há vinte anos ainda eram raras as mulheres que engravidavam depois dos 30. Nessa época, ter filhos depois dos 35 significava risco de vida: para a mãe e o bebê. Os próprios médicos desaconselhavam as mulheres a engravidar nessa faixa etária. Há cinquenta anos, uma mulher de 40 já era avó.

De vinte anos para cá, um número cada vez maior de mulheres procura retardar ao máximo a gravidez. As mães tardias são um fenômeno mundial. Um quarto das mulheres americanas está optando por engravidar com 35 anos ou mais.
O IBGE revela que o número de mães com mais de 40 anos no Brasil cresceu 27%, entre 1991 e 2000. Aquelas que tiveram filho pela primeira vez com idade entre 40 e 49 anos fazem parte de um segmento populacional com alta escolaridade.

Uma das razões para que muitas mulheres adiem o sonho da maternidade é a carreira profissional. A formação escolar de uma pessoa com grau universitário exige pelo menos quinze anos de estudo. Isso significa que dificilmente uma mulher está formada antes dos 22 anos. Com uma pós-graduação, somam-se mais dois ou três anos. Além de uma boa formação acadêmica, é preciso acumular algum tempo de experiência no mercado de trabalho para consolidar uma carreira profissional bem-sucedida.

Retardar a gravidez é mais comum entre famílias de maior renda e instrução. Isso significa que o planejamento dos filhos é também um indicador importante de desenvolvimento. É impossível entender a mudança de comportamento na família resultante da gravidez na meia-idade sem observar a curva de crescimento da expectativa de vida. Esse é um dos feitos mais extraordinários da humanidade neste século. No passado, antes dos antibióticos, das vacinas e dos cuidados com saneamento e higiene, a vida era uma corrida contra o tempo.

Outro fator que contribui para a gravidez tardia é o segundo casamento, cada vez mais comum nas famílias brasileiras. Assim, mulheres que se separaram sem ter filhos do primeiro marido se veem na condição de poder engravidar do novo parceiro. É também mais frequente que mulheres com filhos do primeiro casamento decidam ter outros com o novo marido.

Fonte:wordpress